RAMPART

«War behest»
Infernö Records
3/5
É cada vez mais comum, senão já uma mini-moda mesmo, haver bandas de true metal com vocalistas femininas. O que já não é tão normal é a senhora ser a líder da banda, mas isso é precisamente o que acontece com Maria Doychinova e com os búlgaros Rampart. O grupo lançou um disco de estreia – «Voice Of The Wilderness» – em 2009 e posicionou-se rapidamente no panorama do heavy metal mais clássico, mas as inúmeras alterações de formação que se seguiram originaram alguma turbulência, de que a banda tenta sair agora airosamente com «War behest». O problema da sonoridade dos Rampart é a falta de força, sobretudo quando comparados com os Crystal Viper ou os companheiros de editora ElvenStorm por exemplo, da voz de Maria Doychinova. Tem alguma qualidade e entusiasmo, mas falta-lhe estridência, gritos verdadeiramente potentes e projecção. Depois, embora não cometendo erros, a música dos Rampart é heavy “true” metal baço, sem nada que o faça verdadeiramente brilhar, com os riffs e os solos da praxe e com pouco motivo de destaque mais. Com uma vocalista que não sobressai e música que é um conjunto de lugares-comuns quase aflitivo, resta muito pouco aos Rampart que não seja lutar pelo meio da tabela do true metal valendo-se do facto de virem de um país não tão óbvio como a Bulgária. E isso, em termos musicais, vale muito pouco.
Ouvir
Comprar