CAULDRON BLACK RAM

CauldronBlackRam_StalagmireCAULDRON BLACK RAM
«Stalagmire»
20 Buck Spin
3/5
Os australianos Cauldron Black Ram são daquelas bandas com carisma. Se provas fossem necessárias, o álbum de estreia «Skulduggery», em 2004, dissipou-as todas com uma mistura de black, death, thrash e doom metal que, no papel, deveria funcionar mais ou menos mas que na prática tinha a fúria que os compatriotas Deströyer 666 haviam impresso ao black/thrash metal uns anos antes. Mais do que misturar de forma particularmente feliz e violenta os estilos que compunham a sua música, o trio (formado por gente de Mournful Congregation e Intellect Devourer) tinha a lata de colocar letras de pirataria por cima. O imaginário e sonoridade voltaram a funcionar no segundo disco, «Slubberdegullion», mas não com a mesma energia, mas agora os Cauldron Black Ram parecem estar de volta em todo o seu esplendor com «Stalagmire». Quem não os conhece, não faça confusão: não podíamos estar mais longe do imaginário dos Running Wild, Alestorm, Swashbuckle ou The Privateer. A banda de Adelaide pratica um black/doom metal obscuro, bem das profundezas do oceano da afinação dos instrumentos, com ocasionais aceleramentos thrash/black e pontuais pilhagens ao sludge mais rugoso. É feio, é negro como a mais negra das noites em pleno oceano e usa o lado mórbido dos mitos marítimos para dar sentido a toda a composição doentia que é apresentada. Se isto é “metal pirata”, os piratas não são nada cinematográficos e já há muito que têm vários membros na barriga do Kraken.
Ouvir
Comprar

sonata_728x90

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s