DISCOS DO DIA

9000JohnDoe_RedneckIsThe9000 JOHN DOE «Redneck Is The New Black» Mighty Music
Rock’n’roll e heavy metal juntos, à boa maneira crua dinamarquesa, é a proposta dos 9000 John Doe neste seu segundo disco de estúdio. Riffs pesados mas melódicos (pensem em Pantera), solos funcionais (pensem em Guns N’ Roses) e uma voz a dever a alma ao hardcore (pensem em We Are The Damned) dão uma boa alma ao corpo working class destes rednecks nórdicos. Um bom álbum para ganhar músculo. (7/10)

Chainfist_ScarredCHAINFIST «Scarred» Mighty Music
Compostos por ex-elementos de bandas como Panzerchrist, Frozen Sun e Infernal Death, os dinamarqueses Chainfist propõem uma segunda dose de heavy/thrash com um pé em influências dos Big Four e outro em coisas mais modernas como Disturbed, Bullet For My Valentine ou Mercenary. O resultado é dinâmico, pesado, melódico, intenso e bem feito. Falta-lhe originalidade, mas não qualidade. (7/10)

Exoto_BeyondTheDepthsEXOTO «Beyond The Depths Of Hate» Vic Records
Death/thrash metal derivativo será sempre death/thrash metal derivativo, nem que seja feito por uma banda com a credibilidade de ter editado dois álbuns de originais na primeira metade da década de 90, para regressar agora. Os belgas Exoto não têm uma má sonoridade em mãos, só que estes temas das maquetas dos anos 90 não têm nada que os separe da concorrência de meio de tabela, da altura e de agora. (5/10)

KeepOnRotting_UnforseenConsequencesKEEP ON ROTTING «Unforeseen Consequences» MetalGate Records
Os Keep On Rotting conseguem, até certo ponto, ressuscitar a supremacia que o death metal bruto checo chegou a ter no início dos anos 00. O seu disco de estreia é técnico, progressivo, brutal e cheio de riffs contundentes, misto da mentalidade dos Death com a violência gratuita dos Vader. Uma boa surpresa que urge descobrir. (8/10)

Lavatory_MorbidTerrorLAVATORY «Morbid Terror» Pulverised Records
O death metal da velha guarda sueco segundo os malaios Lavatory é, neste disco de estreia, uma coisa disforme, feia e cheia de riffs pujantes e vocalização odiosas. Nada que os fãs de Dismember, Entombed, Carcass e Obituary não tenham ouvido já, mas feito com uma urgência e uma motivação renovados e uma atmosfera underground inimitável. (6/10)

Ohhms_BloomOHHMS «Bloom» Holy Roar Records
Caindo exactamente no turbilhão de doom, pós-metal e pós-rock progressivo que constitui o hype, a estreia dos Ohhms em disco consegue fugir aos lugares comuns do género com uma estruturação inteligente e um invulgar sentido de intensidade nas duas faixas do álbum, que perfazem 32 minutos. Uma estreia auspiciosa. (8/10)

Exodus_728x90_EU+UK

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s