DISCOS DO DIA

AlgomA_ReclaimedByTheALGOMA «Reclaimed By The Forest» Dead Beat Media
Os jovens canadianos AlgomA despejam a primeira dose de doom/sludge/stoner fortemente influenciado por Electric Wizard, Eyehategod, Sleep e afins, em formato de álbum de originais. É intenso, pesado e peganhoso, mas não tem nada de novo ou de especialmente forte. (6/10)

Ascendancy_TheAmazingAscendancyASCENDANCY «The Amazing Ascendancy Versus Count Illuminatus» MetalGate Records
Considerados uma banda de “power metal” pela própria editora, os Ascendancy são muito mais que isso. Os teclados e a abordagem vocal, neste segundo álbum, puxam a música para território de Devin Townsend, enquanto alguns dos riffs são de power metal moderno, sim senhores. A mistura poderia funcionar melhor, mas não lhes falta dinâmica nem ambição. (6/10)

BigBangBayEyes_LittleNothingBIGBANGBAYBEES «Little Nothing» Auto-financiado
Terceiro EP desta banda de power pop/rock francesa, que apresenta três temas originais e duas regravações de canções antigas. O melhor são as melodias viciantes que agraciam os refrões, assim à Filter. O pior é o que os BigBangBayBees fazem até chegarem lá, que por vezes é meio maçudo e batido. (6/10)

Colosus_BlestemCOLOSUS «Blestem» Kaotoxin Records
Editado há cerca de um ano em formato digital, este disco de estreia do projecto a solo de Krhudd (baterista dos Sidious) chega finalmente à edição física, para gáudio dos poucos fãs da estirpe particularmente negra e underground do black-metal-misturado-com-dark-ambient que pratica. Fãs de Xasthur, Leviathan e Blut Aus Nord deverão ter algum interesse nisto. (7/10)

MaidMyriad_WIthHasteOnMAID MYRIAD «With Haste On Its Breath» Nefarious Industries
Oriundos de Akron, no estado americano do Ohio, os Maid Myriad estreiam-se em grande com um disco que mistura pós-rock, rock progressivo, música alternativa e pop. Na prática, parece uma mescla emotiva e completa de Three, Coheed And Cambria, The Dillinger Escape Plan e Incura. Mas com alma musical própria e boas soluções ao nível da composição. (8/10)

Morost_SolaceInSolitudeMOROST «Solace In Solitude» Auto-financiado
Os eslovenos Morost têm uma boa receita em mãos neste seu disco de estreia: death metal com groove e padrões rítmicos djent, cheio de atmosferas densas e com uma vocalização muito death-black-metal-anos-90. A experiência vem-lhe dos anos passados nos Cold Dew, mas o talento parece ser-lhes inato. (7/10)

Singularity_SingularitySINGULARITY «Singularity» Auto-financiado
É incrivelmente sólida a estreia nos discos de estúdio dos norte-americanos Singularity, que propõem uma estirpe rápida de black metal sinfónico e técnico. Longe dos trejeitos de estrelas dos Winds Of Plague e afins, mais muito mais dinâmicos do que a maioria da concorrência. (7/10)

Exodus_728x90_EU+UK

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s