SKINLESS

Depois de atirarem a toalha ao chão em 2011, não foi preciso mais do que um par de anos para que os norte-americanos Skinless regressassem à actividade e, depois, mais outro par até os termos de volta aos discos.

ARMORED SAINT

Os Armored Saint estão, para o metal, como aquela tia solteirona e simpática está para a família. Toda a gente gosta deles, dão presentes simpáticos mas nunca chegaram realmente a lado nenhum e não são levados realmente a sério.

MARUTA

O grindcore é uma espécie de novo doom metal e parece ser, actualmente, um crime de lesa-pátria não se gostar ou ser-se indiferente a tudo o que tenha um bom blastbeat, vocalizações graves e som abrasivo.

PARADISE LOST

Todos os fãs de metal gostam de criticar bandas que mudam, que evoluem. É possivelmente uma das características mais irritantes dos metaleiros.

MY SLEEPING KARMA

É impossível dissociar o pós-rock instrumental, de influências stoner, dos alemães My Sleeping Karma daquele que é apresentado pelos norte-americanos Karma To Burn, mas ao fim de nove anos e cinco álbuns de originais, o quarteto de Aschaffenburg começa finalmente a ter um pouco de alma musical própria.

DIABOLICUM

Os DiabolicuM foram uma das primeiras bandas a explorar todo o potencial do black metal industrial, nomeadamente com o seu segundo álbum «The Dark Blood Rising», editado em 2001.